Viver Bem: Cuidado com olhos no São João

O São João é uma festa tradicional e muito aguardada em todo o Nordeste. A população baiana está com grande expectativa, após dois anos de pandemia em casa, sem dançar forró, acompanhar quadrilhas ou preparar as comidas típicas da época junina. É costumeiro reunir a família e amigos ao redor da fogueira para assar milho, soltar fogos com as crianças, mas atenção: alguns cuidados são importantes para garantir a saúde ocular! Segundo o oftalmologista do Sistema Hapvida e diretor médico do Hospital Francisca de Sande, Dr. Breno Leão, geralmente as pessoas ficam expostas à fumaça, fragmentos de fogos, álcool e outros meios de combustão utilizados para acender a fogueira e que podem causar irritações ou danos aos olhos. “A exposição à fumaça pode provocar conjuntivite química, irritativa ou uma ceratoconjuntivite. A fumaça contém produtos químicos que, quando entram em contato com o olho, irritam a mucosa, assim como o epitélio da córnea e podem provocar algumas alterações, resultando em irritação, em lacrimejamento”, explica o médico. O especialista chama a atenção também para o cuidado que se deve ter nas festas onde haja aglomeração. Nesses locais, a chance de contrair uma conjuntivite bacteriana ou viral é grande, principalmente por pessoas que ficam expostas a objetos contaminados, como uma toalha, ou por levar a mão suja aos olhos, pela irritação / alergias à fumaça, ou ainda aos casacos, cobertores e jaquetas que ficam durante algum tempo guardados, com mofo ou empoeirados e facilitam o desenvolvimento de rinite ou uma conjuntivite alérgica. “É importante tomar cuidado, mas não deixar de curtir o São João, que é uma festa tão tradicional para os nordestinos. A conjuntivite não é detectada. Você pode observar os sintomas. O olho coça, arde, ela causa uma sensação de pedrinha no olho, o lacrimejamento, e o olho muitas vezes acorda grudado, com muita remela, então, há uma suspeita de conjuntivite. No entanto, para ter o diagnóstico é necessário consultar um oftalmologista ou um clínico geral”, diz o oftalmologista. Após isso, o paciente ainda passa por uma análise do olho para iniciar o tratamento. Confira algumas dicas de cuidado: – Mantenha as mãos e o rosto limpos, por isso lave-os com frequência; – Evite ficar próximo à fumaça da fogueira; – Em caso de expor os olhos à fumaça, lave-os com água corrente, shampoo ou sabonete neutro para tirar o resquício dos fumos. O uso de um colírio lubrificante (mais simples – sem antibiótico – a base de carmelose ou hipromelose) também é indicado; – Mantenha distância dos fogos; – Ao soltar foguetes, nunca olhe para cima; – Para quem gosta de brincar com fogos ou for acender fogueira, se não usar óculos de grau, se possível, use óculos de proteção (os transparentes); – Faça a lavagem e a secagem ao sol de mantas, cobertores e blusas de lã guardadas por muito tempo, antes de usá-las; – Evite o acúmulo de poeira em casa; – Durma em local arejado; – Não compartilhe toalhas de rosto, esponjas, máscara de cílios, delineadores ou qualquer outro produto de beleza; – Evite objetos que acumulem poeira, como: cortina, carpete, tapete, bicho de pelúcia, documentos antigos, livros etc; – Se estiver com conjuntivite, não utilize lentes de contato e não coce os olhos, para evitar irritações.Bahia Noticias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.