Trabalhadores da saúde paralisam atividades na UBS San Martin 3 por falta de segurança

No último dia 29 de março, a UBS San Martin 3 foi alvo de bandidos armados durante o horário de atendimento.

Nesta segunda-feira (11), as atividades na Unidade Básica de Saúde (UBS) San Martin 3 foram paralisadas pelos funcionários de saúde, que pedem por mais segurança no local de trabalho. No último dia 29 de março, a UBS San Martin 3 foi alvo de bandidos armados durante o horário de atendimento.

A paralisação faz parte da campanha “Parem de nos agredir”, criada pelo Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps), que visa sensibilizar a população e cobrar ações efetivas da prefeitura. 

Segundo o diretor da entidade, Leo Lordello, a iniciativa foi a forma encontrada para repudiar a situação. “São casos recorrentes de todos os tipos de violências. Agressões verbais, físicas e ameças de morte acontecem todos os dias. Assaltos, roubos, furtos e até mesmo sequestros já ocorreram. Notificamos a Prefeitura e recebemos como retorno a fala batida de que segurança pública é obrigação do governo do Estado. É um equívoco, pois compete aos entes estatais incluídos no artigo correspondente à segurança e ordem pública na Constituição”, observou Lordello.

Guardas – A diretoria do Sindseps aponta ainda que existem cerca de 366 (trezentos e sessenta e seis) aprovados no concurso público para guardas civis municipais que estão aptos para atuar garantindo segurança nos postos de saúde. “O contribuinte pagou a preparação desses futuros colegas e a Prefeitura não faz a convocação para que exista esse aparato de segurança nas unidades de saúde. O chamado dos novos guardas civis diminuiria o problema e ainda faria o devido cumprimento da Lei Federal 13022/14”, finalizou Lordello. Metro1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.