Primeiro de maio em Salvador terá lives e coleta de doações

Páginas de facebook terão transmissões durante o dia; ponto no Parque de Exposições lançará campanha de solidariedade.

As tradicionais manifestações no Campo Grande e adjacências não poderão acontecer, devido ao isolamento social definido pelo combate ao novo coronavírus. Ainda assim, as centrais sindicais garantem programação em Salvador durante todo o dia no Dia do Trabalhador, nesta sexta-feira. Os eventos acontecem em duas frentes: no facebook das centrais sindicais, uma série de lives será veiculada a partir das 9horas. Já no Parque de Exposições, haverá coleta de doações para entidades cadastradas, em apoio àqueles que perderam o emprego. A programação terá como tema central o slogan “Saúde, emprego e renda: um novo mundo é possível com solidariedade.”

Um ponto de coleta será montado na entrada do Parque de Exposições, das 8 às 17 horas. Uma equipe recolherá alimentos e produtos de higiene sem que a pessoa precise sair do carro. “É importante que as pessoas participem para que a doação chegue o mais rápido possível para quem está precisando”, ressalta o secretário de Comunicação da CUT-Bahia, Edmílson Barbosa. No ato, também será lançada uma campanha com o mesmo objetivo, que vai durar até o fim de maio. Novos postos de coleta serão divulgados pelas centrais sindicais.

“A solidariedade é algo que devemos exercitar sempre. Neste momento, a nossa ação é para salvar vidas em meio à pandemia”, avaliou Leninha, presidente da CUT-Bahia. A campanha tem as participações das secretarias estaduais de Trabalho, Emprego e Renda e da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura, Frente Brasil Popular e do Comitê Popular e Solidário da Bahia. Entre os sindicatos, estão envolvidas também as centrais CTB, UGT, Força Sindical e Nova Central.

Na internet, as páginas do Facebook vão exibir discursos de sindicalistas, políticos e participação de artistas locais. À tarde, o ato nacional agendado para São Paulo também será veiculado. Na CUT-Bahia, a página vai mostrar ainda uma transmissão com Ana Georgiana, supervisora no estado do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Sócio-Econômicas (Dieese).

Pandemia

Além do emprego, críticas ao presidente Jair Bolsonaro devem ocorrer, especialmente à forma como conduz a ação federal contra a Covid-19.”Muitos são os desafios para o povo brasileiro enfrentar nesse desgoverno de Jair Bolsonaro, que ignora as mais de 5.000 mortes registradas até agora. O Brasil vai acelerando rumo a uma tragédia de grande proporção, atingindo número expressivo de pessoas contaminadas”, critica a CUT-Bahia, em nota de divulgação do Primeiro de Maio postada na internet.

Segundo Edmílson Barbosa, a CUT acompanha um movimento de demissões geradas pela pandemia do novo coronavírus. O diagnóstico da entidade é que o volume maior venha do setor industrial. “Muitas indústrias estão colocando os trabalhadores em férias para logo depois demiti-los”, disse. Ainda não há um levantamento estatístico sobre o impacto da crise. bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *