Palestra aborda conservação e restauração de livros e documentos

Foto: Reginaldo Ipê

Atividade foi promovida pela Escola do Legislativo Péricles Gusmão Régis.

A Escola do Legislativo Péricles Gusmão Régis, da Câmara Municipal de Salvador, promoveu a palestra “A importância de profissionais na conservação/restauração de livros e documentos nas instituições públicas e privadas”. A aula, no Centro de Cultura da Câmara, último dia 11, foi ministrada pelo professor e restaurador Eutrópio Pereira Bezerra, mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). 

Além da diretora da Escola, a vereadora Marta Rodrigues (PT), também participaram da mesa da atividade, junto com o professor, a coordenadora de Projetos de Organização e Restauração dos Documentos do Arquivo Histórico Municipal da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Simone Costa; a presidente da Associação dos Arquivistas da Bahia, Leide Mota; e a analista de Informação Legislativa da Câmara de Salvador, Fernanda Linhares.

O professor Eutrópio Bezerra traçou uma breve trajetória da conservação-restauração de acervos em papel no Brasil e os critérios técnicos para salvaguarda de documentos e livros. Outro ponto destacado pelo professor foi a falta da obrigatoriedade do conteúdo de restauro e conservação nos cursos de Museologia, História e Arquivologia, o que compromete esse trabalho de salvaguarda. 

A vereadora Marta Rodrigues enfatizou que não ter o componente curricular no conteúdo programático dos cursos de Arquivologia, História e Museologia é um problema para os futuros profissionais de restauração e conservação. 

“O conteúdo optativo faz com que muitos estudantes fiquem de fora de importantes discussões a respeito”, reforça. A vereadora sugere que o Centro Estadual de Educação Profissional Isaías Alves, onde é oferecido o Curso Técnico em Conservação e Restauração, seja inserido na luta a favor da criação de laboratórios específicos para essa finalidade.

“O trabalho do restaurador exige muita dedicação e não é valorizado. Não ter nos currículos de cursos afins o conteúdo tratado aqui na palestra é um problema social. Vamos perder nossa memória? Os documentos são produtos de uma construção da sociedade. Precisamos ter a salvaguarda de nossa memória”, acrescentou Fernanda Linhares.

Laboratórios de restauro

Lucimar Oliveira, da Biblioteca da Fundação Mário Leal Ferreira, sugere que o Legislativo discuta com as universidades a criação de laboratórios de restauro que podem ser utilizados para vários cursos. Lucimar lembra ainda que Salvador não oferece graduação com esse conteúdo. Ela sinalizou, entretanto, que uma unidade estadual oferece curso técnico na área. 

De acordo com a vereadora Marta, é fundamental a criação de laboratórios de restauro para a salvaguarda de acervos históricos e da memória da população. Ela também cita a importância da conservação do acervo da Casa Legislativa para pesquisas de documentos por parlamentares. 

“Precisamos entender o quanto são valorosos nossos livros e documentos e a necessidade de termos profissionais capacitados para sua conservação e restauração”, disse Marta.

Simone Costa, do Arquivo Histórico Municipal, trouxe esperanças sobre o tema quando informou que está sendo providenciada a nova sede do Arquivo Público Municipal, assim como a restauração de 100% dos documentos que serão transferidos para o novo espaço.

“Além disso, há a aquisição de mobiliários, implantação de laboratório de restauro e capacitação de profissionais para assumirem o novo acervo”. O projeto, que está sendo tocado pelo professor Eutrópio Bezerra, é fruto de consultoria e uma vitória para a conservação do patrimônio histórico de Salvador.
 

Fonte da notícia: Assessoria da vereadora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.