‘Houve um ruído de comunicação em relação às máscaras’, diz Bruno Reis

O prefeito Bruno Reis esclareceu a polêmica sobre o decreto que torna opcional o uso de máscara em alguns ambientes fechados em Salvador. Segundo o gestor, a medida não contrapõe o decreto estadual, que desobrigou o uso do equipamento de proteção contra a Covid-19 em locais abertos no início da semana (veja aqui). “Houve um ruído de comunicação em relação às máscaras. Apenas adequei os decretos municipais aos decretos estaduais. O decreto estadual que liberou as máscaras estabelece um rol de lugares que são permitidos e mantive nos meus decretos isso. Eu revoguei os decretos anteriores, apenas isso. Para não achar que eu liberei algo que não estava previsto no decreto estadual”, afirmou o prefeito durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (7). De acordo com o decreto publicado na última segunda (4), no Diário Oficial do Município (DOM), o uso de máscaras passou a ser facultativo em diversos lugares como academias, barbearias, autoescolas e estádios de futebol. A medida estava estabelecida no decreto, mas embutida em um dos artigos e não de maneira explícita. O texto apenas revogava o inciso XVIII do art. 2º do Decreto nº 33.885, de 11 de maio de 2021, onde tais locais estavam listados. A nova determinação é válida para espaços com ventilação natural e onde deve ser observado o distanciamento social adequado. O uso facultativo das máscaras em Salvador é possível em Comércios de Rua; Academias de Ginástica; Barbearias e Salões de Beleza; Cursos Livres; Autoescolas; Construção Civil; Praias; Parques Públicos; Clubes Sociais, Recreativos e Esportivos; Centros e Espaços de Convenções; Circos; Parques Temáticos e de Diversões; Estádios de Futebol; Funcionalismo Público Municipal. LIBERAÇÃO TOTAL Bruno Reis ressaltou que, no que depender dele, o uso das máscaras seria opcional, tanto em ambientes abertos ou fechados. “A opinião da equipe da Prefeitura é que não é mais necessário usar obrigatoriamente máscara. Defendo a retirada total […]. O mundo todo já abriu, e eu defendo isso. Porém, o decreto do estado se sobrepõe ao da prefeitura e eu não vou discordar dos decretos dele”, reforçou.Bahia Noticias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.