Guto lamenta empate, mas valoriza atuação do Bahia contra o CSA

Willian Maranhão em lance da partida contra o CSA (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia).

Treinador destacou a evolução do time na temporada.

O Bahia ainda não conseguiu engrenar em 2022. Na quarta-feira (16), o tricolor voltou a tropeçar ao ficar no empate por 1×1 com o CSA, na Fonte Nova, pela 5ª rodada da Copa do Nordeste. O Esquadrão saiu em desvantagem e só arrancou o empate aos 29 minutos do segundo tempo, no gol de Rodallega.

Apesar do empate, o técnico Guto Ferreira se mostrou satisfeito com a atuação da equipe. Na análise do treinador, o Bahia era melhor do que o CSA no momento em que sofreu o gol. Guto destacou ainda que, mesmo em desvantagem, o time seguiu pressionando e parou nas defesas do goleiro Marcelo Carné.  

“Começamos o jogo muito bem, inclusive a nossa situação de marcação estava bem na partida, tomando a bola, faltando detalhes para entrar na defesa deles e finalizar com situação mais clara de gol […] aí vacilamos em uma jogada de escanteio deles e acabamos tomando o gol. Foi um gol no momento em que estávamos melhor na partida. A nossa equipe no primeiro momento deu uma sentida, mas rapidamente foi se reerguendo, buscando e no primeiro tempo tivemos três chances claras de gol, duas com defesas importantes do Marcelo Carné”, disse.

O treinador aproveitou para explicar a saída de Daniel após Luiz Otávio ter sido expulso. Segundo Guto, o meia vinha fazendo um bom jogo, mas, além de ser importante recompor o sistema defensivo, ele precisava colocar em campo jogadores com maior capacidade para ocupar os espaços. 

“A nossa equipe não se entregou, tive a necessidade de colocar o Henrique, abri mão do nosso jogador mais criativo, que é Daniel. Com um jogador a menos, tive que colocar jogadores que pudessem ocupar espaços e conseguimos. Conseguimos o empate e até alguns lances que poderiam ter nos dado o triunfo. Em suma, por tudo que fizemos dentro da partida, lamentamos o empate”, explicou.

Durante a entrevista, o treinador foi questionado sobre a necessidade de reforços para o elenco. E voltou a bater na tecla de que o Bahia não está parado no mercado, mas destacou que nesse momento os jogadores que interessam ao clube estão atuando por outras equipes. O comandante não esconde que ainda busca pelo menos um meia.  

“Nós não estamos parados. Esse é o momento em que ninguém vai tirar ninguém de lugar nenhum. Os jogadores que nos interessam estão jogando e o Bahia não tem dinheiro para pagar por eles. Tem que esperar o momento para que a gente possa acertar com alguns jogadores. O clube está se movendo para encorpar o elenco e ter condições de ter dois times competitivos. Estamos jogando a cada dois, três dias e não suporta. Estou com medo de que comecem as lesões musculares”, finalizou. Correio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.