Grupo usava o deep web para adquirir dados bancários e teria causado prejuízo milionário

Um grupo acusado de estelionato foi preso nesta quinta-feira (12) no bairro do Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro. Diego Luís Pereyra, Willian Teixeira Chicorsky, Fernanda Natalina dos Santos Lima e Angélica de Jesus Albercht foram surpreendidos por policiais civis no momento em que tentavam comprar joiais em uma loja. Segundo a delegada Daniela Terra, eles são suspeitos de golpes com cartões de crédito virtuais clonados.

A titular da 14ª Delegacia de Polícia (Leblon) informou que o grupo adquiria os dados bancários das vítimas por meio da deep web (ferramenta de busca com pouca regulamentação), clonavam cartões de crédito virtuais, geravam links falsos de pagamentos e transferiam altas quantias para contas de “laranjas”.

A quadrilha agia em Balneário Camboriú, no litoral de Santa Catarina, e causou um prejuízo total de R$ 1 milhão. Ainda segundo a delegada Daniela, o grupo gastava os valores dos golpes com compras de bens de luxo, principalmente joias, e depois revendia a mercadoria.

Os dois homens e as duas mulheres estavam hospedados em dois apartamentos na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. No local, os policiais apreenderam um carro Audi Q3, dez celulares, R$ 4 mil em espécie, uma pistola com a numeração raspada, dois carregadores e munição. O inquérito policial também apontou que o grupo usava as quantias dos golpes para ostentar uma rotina de luxo, com uso de carros e motos importadas, lanchas e jetski.

“Com a evolução da tecnologia e a disseminação dos bancos digitais, as quadrilhas se especializaram na aplicação de golpes, sobretudo no ambiente da deep web, a parte da internet que fica oculta do grande público. Para evitar esses crimes, é preciso que essas instituições financeiras invistam em segurança e os clientes redobrem a atenção e também não comprem produtos de procedência duvidosa”, disse a delegada Daniela.

Na delegacia, os suspeitos ainda tentaram subornar os policiais ao oferecerem R$ 150 mil para serem liberados. Diego Luís Pereyra, Willian Teixeira Chicorsky, Fernanda Natalina dos Santos Lima e Angélica de Jesus Albercht foram autuados em flagrante pelos crimes de estelionato, associação criminosa, corrupção ativa e posse de arma de fogo de uso restrito. Informe Baiano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.