Abril já contabiliza 124 homicídios e registra média diária maior que os primeiros meses do ano

Em meio à pandemia do coronavírus, que tem causado vítimas em todo o mundo, Salvador e os municípios da Região Metropolitana ainda tem enfrentado uma onda de violência no mês de abril. Segundo os dados divulgados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), nos 16 primeiros dias do mês já foram contabilizados 124 homicídios na capital baiana e cidades vizinhas.

Mesmo ainda com muitos dias para acabar o mês, o número já se aproxima do registrado em cada mês completo, dos três primeiros do ano. Conforme os dados da SSP-BA, em janeiro foram contabilizados 145 casos. Em fevereiro o número subiu para 155 e em março, outra alta fez com que os óbitos chegassem a 164. No entanto, vale lembrar que fevereiro teve apenas 29 dias.

Considerando os números de abril, que tem como média sete homicídios por dia, o mês pode fechar com cerca de 220 casos, levando em conta os dias restantes. A reportagem do BNews entrou em contato com a Polícia Civil, que garantiu que as investigações dos casos estão sendo realizadas.

Outro fato que chama atenção no levantamento realizado pela reportagem do BNews é o aumento no número de mortes de pessoas do sexo feminino. De acordo com as informações do órgão oficial, no mês de janeiro foi registrado 12 óbitos, em fevereiro foram 15 e em março aumentou para 18. Já no mês de abril, até o dia contabilizado (16), oito casos foram contabilizados.

A SSP-BA afirmou que a maior parte dos casos tem relação com o tráfico de drogas e cogitou que o aumento pode ter relação com a soltura de presos do sistema prisional, medida atodada por diversos estados por causa da pandemia do novo coronavírus.

“A SSP ressalta que 80% das mortes têm ligação com o tráfico de drogas e que a pasta analisa se os casos possuem relação com a recente soltura de aproximadamente 2 mil detentos do sistema prisional, por conta da pandemia do covid-19”.

Questionado sobre o aumento de óbitos de pessoas do sexo feminino, o órgão também relacionou as mortes ao tráfico de drogas. “Sobre as mortes de mulheres, a maioria das ocorrências também têm relação com o comércio de drogas”. Bocão News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *