Seleção brasileira joga hoje com o Uruguai às 21h30

Torcida, técnico e jogadores compartilham de um mesmo sentimento: apesar da situação na tabela, o desempenho da Seleção Brasileira não é satisfatório. Com a classificação encaminhada – desde 2006, os 28 pontos garantiram vaga à Copa do Mundo – Tite tem aproveitado os jogos para promover testes em busca de melhorar o time. Nesta quinta-feira, 14, às 21h30, em clássico contra o Uruguai, não será diferente.

Os 14 mil torcedores que são esperados na Arena da Amazônia, em Manaus, devem ver um Brasil diferente contra a Celeste, pela 12ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Qatar. Raphinha aproveitou bem seus minutos no jogo passado, e ganha oportunidade. Na linha de defesa, outras três mudanças: Emerson Royal, Lucas Veríssimo e Thiago Silva começam jogando. Além deles, Ederson volta ao gol, no lugar de Alisson.

As mudanças não têm sido novidade na Amarelinha. Nos últimos quatro jogos – incluindo o confronto interrompido contra a Argentina – o treinador mudou o time titular todas as vezes, por opção. Reflexo de que Tite não está satisfeito com o desempenho, apesar da campanha avassaladora de nove vitórias e um empate.

No primeiro confronto desta Data Fifa, contra a Venezuela, já havia sinalizado isso, ao dar chance a Arana. “Oportunidades são importantes. Momento do atleta é importante. A campanha nos permite abrir mais o leque de oportunidades. Coisa que na campanha de 2018 não foi possível. Agora a própria campanha nos permite oportunizar atletas. É o caso de Arana”, explicou Tite.

Na entrevista coletiva de quarta, 13, o tema voltou a aparecer. Fabinho discordou da percepção de que a atuação contra a Colômbia foi ruim. No entanto, o volante concorda que ainda há espaço para aprimorações. “Somos a Seleção Brasileira, queremos sempre melhorar, jogar bem, vencer e convencer. Pensamos em evoluir”, afirmou.

Craque também sofre

Na última semana, uma declaração de Neymar, de que a próxima Copa poderia ser sua última, repercutiu. O atacante sofreu críticas, não só por isso, mas também pelo seu desempenho bem abaixo em jogos recentes, especialmente contra a Colômbia. Quem partiu em sua defesa foi o zagueiro Thiago Silva.

“A gente deixa  de lado o que ele vem fazendo dentro de campo e foca em coisas que não são interessantes. Ele sabe que não fez um jogo de Neymar. Mas fica uma cobrança muito forte e coisas que não têm nada a ver. Eu passei por momentos semelhantes, principalmente depois da Copa de 2014. Fui tachado de chorão. Coisas que vão te machucando e você sabe que não é”, defendeu.

O veterano também comentou sobre o desempenho coletivo e a fase de experimentos. “Temos sido criticados pela forma que jogamos. O momento não é dos melhores, apesar dos resultados. É momento do homem [Tite] testar uma ou outra situação”, justificou.

Um grande adversário

Historicamente, o clássico desta quinta seria aguardado como um grande confronto. Só que a Celeste tem convivido com seus próprios problemas.  Suárez e Cavani não marcam nas Eliminatórias desde novembro do ano passado – há oito jogos. Para piorar, Óscar Tabárez perdeu, por lesões, o zagueiro Ronald Araújo e o meia Arrascaeta, no vareio de 3 a 0 sofrido para a Argentina, na rodada passada.

Ou seja, o Brasil, que nunca perdeu em casa para o Uruguai em Eliminatórias, terá a si mesmo como maior adversário. Até pelas mudanças feitas por Tite, fica claro que o maior foco do Brasil será buscar as respostas para o desempenho nem um pouco encantador. Além disso, os próprios jogadores buscam uma evolução: Neymar vive rodeado de críticas, assim como o volante Fred; já os ‘Gabrieis’ ainda não inspiram confiança no ataque; Jesus não marca um gol há 13 jogos pelo Brasil; e Gabigol recebeu 11 chances com Tite este ano, mas fez apenas dois gols.

BRASIL X URUGUAI – 12ª RODADA DAS ELIMINATÓRIAS SUL-AMERICANAS DA COPA DO MUNDO

Local: Arena da Amazônia, em Manaus (AM), às 21h30Árbitro: Fernando RapalliniAssistentes: Juan Bellati e Diego Bonfa (trio argentino)Brasil – Éderson; Emerson Royal, Lucas Verissimo, Thiago Silva e Alex Sandro; Fabinho, Fred, Lucas Paquetá e Raphinha; Gabriel Jesus e Neymar. T: Tite.Uruguai – Muslera; Nandez, Godin, Coates e Piquerez; Bentancur, Vecino, Valverde e De la Cruz; Suarez e Cavani. T: Óscar Tabárez.

A Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *