Edvaldo Brito volta a criticar veto de prefeito: ‘Fica a demagogia de dizer que é uma cidade negra’

Proposta de vereador aprovada na Câmara pretendia conceder título de patrimônio imaterial à língua iorubá.

O vereador de Salvador Edvaldo Brito (PSD) voltou a criticar o veto do prefeito ACM Neto (DEM) ao projeto da sua autoria que pretendia tornar patrimônio imaterial a língua iorubá. Ele já havia falado sobre o veto no último dia 13.

Em entrevista à Rádio Metrópole hoje (21), ele defende que a proposta foi copiada de outra legislação já existente no estado do Rio de Janeiro.  

“Eu copiei igualzinho como estava no Rio de Janeiro, achando que Salvador -que fala de axé e oxum-, é onde deveria ter isso respeitado. E o prefeito vetou, sob alegação menor, de que existia uma lei que exigia que, para acontecer isso, exigia isso e aquilo. Mas eles esqueceram que nós somos a lei, a Câmara é a lei. A Câmara pode revogar qualquer lei que esteja aí, no interesse público”, disse.

O edil argumenta que o projeto de valorização da língua usada ritos religiosos afro-brasileiros não ofende à ninguém.

“Aí o que me irrita nisso é que fica demagogia de dizer que é uma cidade negra e se visita casa de candomblé na eleição. E depois veta projeto que não tem sentido nenhum vetar. (O projeto) Não ofende nada”, afirmou. Metro1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *