Bellintani projeta novo mandato focado em ‘corrigir erros no futebol’

Guilherme Bellintani foi reeleito nas eleições que definiram o novo mandato como presidente do Bahia no último sábado, 12. Com 9.941 votos, o que representou 86% dos votos válidos, Bellintani venceu o único adversário, Lúcio Rios, que teve 1.648 votos e comandará o clube por mais um triênio ao lado do vice-presidente, Vitor Ferraz.

Em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM (103.9), Bellintani falou sobre os desafios para o novo mandato frente ao clube, que não se encontra em um bom momento com o risco de rebaixamento no Brasileirão e com o enfrente à pandemia do Covid-19 que alterou drasticamente a saúde financeira dos clubes brasileiros.

“Por um lado, o segundo mandato será facilitado pelo que a gente fez no primeiro e pela sequência. O Bahia vem desde 2013 com uma reestruturação muito grande, tem sido uma sequência de gestões que possuem um alinhamento e isso mostra que o Bahia vai se fortalecendo a cada ano. Então creio que nesse segundo mandato iremos receber os benefícios e estrutura oferecidos pelo primeiro. Teremos um clube mais forte, financeiramente melhor e com estrutura muito melhor. Por outro lado teremos dificuldades com as consequências da Covid e do impacto econômico dentro do clube. O futebol é um produto de aglomeração, depende dessa reunião de pessoas e nós vamos ser muito impactados. Temos um déficit projetado de R$25 milhões neste ano e é claro que isso vai influir nos próximos”, avaliou.

Mesmo com o alto indíce de apoio expresso nas urnas, a reeleição de Bellintani vem acompanhada de uma cobrança ainda maior da torcida tricolor. Dono do maior orçamento da história do futebol nordestino, o clube não conseguiu por esse poderio financeiro em prática e tem sofrido para alçar um novo patamar no futebol nacional. Para Bellintani, o segundo mandato será focado em corrigir esses erros, sobretudo no campo do futebol, enquanto promove a continuidade do crescimento administrativo e financeiro do Bahia.

“A reeleição é um recado de confiança, que mostra que estamos em um caminho certo combinado com um pedido e a exigência das melhorias dentro de campo. Tivemos muitos erros sobretudo na segunda metade do mandato e temos muito o que corrigir. Tenho uma grande responsabilidade de fazer mudanças e fazer do Bahia um time mais vencedor do que foi nesse primeiro mandato. O futebol tem muito do imponderável né? As vezes você toma decisões que acham que são corretas e elas ficam aquém do que você imaginava”, ponderou.

“Contratamos jogadores que renderam em outros times e não estão rendendo esse ano e até mesmo jogadores que não vinham bem e a gente contrata esperando que eles se recuperassem no Bahia. São erros que não podemos prever e acho que a eleição serve para fazermos esse balanço e autocrítica. Vejo naturalmente que poderiamos tomar decisões melhores e esse é o intuito para os próximos anos. Temos uma obrigação de se concentrar no futebol no segundo mandato, esse é o meu objetivo, já iniciamos mudanças e em breve vamos anunciar cada passo que vamos dar para o futuro do clube”. A Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *