Apresentadores da Band protagonizam bate-boca durante programa

Jornalistas divergiram sobre o caso da garota Ágatha Félix, que morreu após ser atingida por disparos realizados pela Polícia Militar do Rio de Janeiro

O clima esquentou entre os jornalistas Silva Poppovic e Luis Ernesto Lacombe, que comandam o programa Aqui na Band, na última segunda-feira (23). Durante a atração, os apresentadores divergiram sobre o caso da garota Ágatha Félix, que morreu após ser atingida por disparos realizados pela Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Enquanto Silvia preferiu tecer críticas ao governador do Rio, Wilson Witzel, e sua política de segurança, Lacombe decidiu minimizar o erro.

“Terrível essa história, terrível essa política de segurança que não pensa em resguardar a vida da população e sai atirando assim. É isso que acontece. É triste mesmo, é lamentável”, disse Poppovic.

“Eu acho ainda um pouco precipitado dizer o que aconteceu. Ainda será feito uma perícia. Eu vejo as pessoas se voltando contra o trabalho da polícia. Eu lembro que, nos anos 80, Leonel Brizola, então governador do Rio, proibiu a polícia se subir nas comunidades. A polícia tem que tomar todo o cuidado para atuar a vida de inocentes, mas a polícia não pode deixar de atuar nessas áreas”. E completou Lacombe. “Os traficantes estão nessas comunidades exatamente porque ali eles estão protegidos por pessoas inocentes. Então é muito complicado acusar sempre a polícia”, afirmou.

A apresentadora interrompeu a argumentação do colega e explicou o que as críticas foram voltadas para Secretaria de Segurança Pública do estado.

“Eu não estou acusando a polícia do Rio de Janeiro, eu estou acusando a política de segurança pública do estado, que permite a política a atirar na cabecinha, como disse o Governador. Quando existe uma política agressiva, de matar quem está na frente, acontece esse tipo de desgraça” , se defendeu.

Lacombe, no entanto, não concordou, rebateu Silvia e usou o exemplo da guerra na Palista para justificar seu argumento.

“A gente não sabe realmente se foi a polícia. A gente sabe que os traficantes se protegem. Como acontece na Palestina. Os palestinos se protegem colocando na linha de frente mulheres e crianças”. “Você acha que foi isso que aconteceu?”, perguntou Silvia, com tom indignado. “Eu não sei, quero esperar. Eu não sou perito. Eu quero aguardar”, comentou.

Por fim, Silvia Poppovic reforçou que o caso está sob investigação do Ministério Público e logo deve ser concluído.

“Bom, o Ministério Público já está apurando o caso. Essa história, para quem é carioca… Me admira muito, Lacombe, você não estar emocionado com essa história”, rebateu Silvia. “Mas eu estou emocionado”, respondeu Lacombe. “Essa história, para quem é carioca e brasileiro, é uma vergonha”, concluiu Silvia. Os dois ainda discutiram por mais alguns segundos, até que decidiram seguir o programa.

Varela Noticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *